Ficha Técnica



Adaptação coreográfica, concepção e pesquisa: Mauro Rodriguez
Supervisão coreográfica: Bety Kiyomura
Coreógrafos adjuntos:
• Aline Gallo: Abelhas, Formigas, Flamingos, Vagalumes, Pavões e Crianças Coloridas
• Eder Donizetti: Vagalumes
• Mariana Sancez: Os Labirintites, Cores Vivas e Criaturas do Submundo
• Matheus Pontelli-Ritter: Hienas e Zebras
• Myrna Jamus: Cisnes
• Vanessa Chieus: Terras de Sombras, Pássaros Vermelhos e Lágrimas de Rafiki.

Cenários e Adereços de cena: Eduardo Lima e Waldir Júnior
Figurinos - criação e consultoria: Mariana Piccolli
Figurinos - coordenação e supervisão: Helena Segnini
Figurinos - execução: Angela Maria Duzi Tinta, Maria Rosales, Sonia Noivas, Silvana Pereira Sabadini e Yvelize (Zize) Pereira Louzas.
Adereços de cabeça: Eliana Salles
Maquiagem artística: Bia Karan
Orientação teatral: Angelo Bonicelli e Getúlio Alho
Iluminação: projeto e operação: Luiz Coelho
Documentação em vídeo: Foco produções
Documentação fotográfica: Chris Ceneviva
Fotos do Programa: Chris Ceneviva e Silvia Machado
Ambientação do Local: Ana Paula Japur
Ambientação dos Camarins:
• Shot Café - Maria Luiza (Iza) Valente
• Lindolar Móveis e Decorações

Direção de palco e bastidores: Mauro Rodriguez e equipe de mães
Locução: Marluci Rios
Gravação de audio: Intersom FM
Programação visual e criação gráfica: Mário e Mila Pizzignacco
Impressão: Gráfica e Editora Guillen & Andreolli
Arte final: Andersen Bianchi.
 

Um pouco de história...



Desde que o Sol brilhou sob as savanas africanas na abertura da animação de maior sucesso dos estúdios de Wlat Disney, O Rei Leão conquistou os corações de milhares de pessoas. O intenso caráter de seus personagens e a vigorosidade de suas músicas eternizaram a história do pequeno leãozinho Simba. Transformado em musical, O Rei Leão está a mais de dez anos em cartaz na Broadway e agora é adaptado pelo Ballet Expressão com a intenção de trazer ao seu público a magia e o encanto deste Ciclo de Vida.

Adaptação



I ATO
Os animais da floresta vivem a experiência do nascimento de um jovem príncipe. Rafiki reune-os para apresentar Simba, seu futuro rei. Ao som do tambor, um ancestral espalha a alegria de todos os animais, com exceção do invejoso Scar, tio de Simba. Pássaros dançam alegremente pela savana enquanto o sábio Rafiki se diverte entre os africanos que trabalham na lavoura de uma aldeia.
 
Até as pequeninas criaturas, formigas e abelhas, ajudam a compor o ciclo da vida com seu trabalho. Simba cresce, e é levado por seu pai, Mufasa, para conhecer as terras do reino. A paisagem é enfeitada por cisnes que brincam e dançam para contemplar a beleza do lugar.

Nestas terras férteis, Sarabi e Sarafina se reunem com as leoas e os filhotes em uma alegre dança de caça.

Afastando-se do bando, Simba e Nala vão até o olho d'água e com ajuda dos Labirintites fogem de Zazu para se aventurarem no cemitério de elefantes, onde encontram Shenzi, Banzai e Ed. As três hienas tentam matá-los, mas, Mufasa chega e as afugenta. Mufasa fica decepcionado com Simba e, para lhe dar uma lição, conta sobre os reis que vivem nas estrelas.

Longe dali, uma tribo africana faz uma celebração aos Reis do Passado orientados pela Deusa Africana e seu mentor espiritual no batismo de um jovem guerreiro. Novos fatos vem para mudar o rumo da vida de Simba. Scar planeja matar seu irmão, e convoca as hienas para ajudá-lo. Elas assustam uma manada de búfalos que quase mata Simba. Atraído, Mufasa cai na armadilha do maquiavélico Scar que o machuca e faz com que ele caia sob a violenta manada.

O espírito de Mufasa é envolvido pelas asas de um pássaro angelical e levado pelos guardiões das almas. Scar anuncia a morte de Simba e Mufasa à todos. Rafiki votla tristonho para seu baobá, onde chora tristes lágrimas que se espalham pela floresta. Abutres tentam devorar o exilado Simba, mas ele é salvo por Timão e Pumba, dois aventureiros que vivem na floresta. Eles o ensinam o lema Hakuna Matata e levam-no para um passeio nas matas cheias de cores vivas e crianças animadas.

II ATO
O ser ancestral aparece mais uma vez, para dar pistas dobre o final desta história. Uma terrível seca atinge a Pedra do Reino. Scar não é o rei que todos esperavam, sua ambição e maldade transformaram o reino numa terra de sombras.

Distante destes de problemas, simba vive ao lado de seus amigos uma vida sem preocupações.

Timão e Pumba se sentem protegidos com a presença de Simba, agora um jovem leão. Ainda assim, as lembranças do passado voltam à sua memória quando as cintilantes luzes das estrelas e dos vagalumes cercam seus pensamentos. Esta vibração encontra a sensibilidade de Rafiki que sente Simba vivo.

Pumba e Timão passeiam pela floresta quando são surpreendidos e perseguidos por Nala. Simba aparece para salvá-los e reconhece Nala, sua antiga amiga por quem se apaixona.

A paixão entre os dois é purificada por flamingos que embalam esse romance.

Nala quer que Simba retorne a pedra do reino para assumir seu lugar de direito.

Simba quer fugir de suas responsabilidades mas sua mente se abre como as asas dos pavões que aparecem naquele momento de dúvida.

Rafiki vai ao encontro de Simba e com sabedoria mostra-lhe suas origens e o lugar que ele deve ocupar no ciclo da vida.

Ao retornar à pedra do reino Simba encontra olugar cercado por criaturas do submundo.

Com a ajuda de Timão , Pumba e Nala, Simba entra em confronto com Scar e a verdade sobre a morte de Mufasa é revelada. Scar é liquidado pelas hienas por sua traição. Rafiki conduz Simba para tomar seu lugar como rei.

Todos os animais da floresta reunem-se novamente para o início de uma nova Era, com o Rei Simba, a Rainha Nala e a filha deles, Kiara.
 

 

[voltar]

2017 - Ballet Expressão. Todos os direitos reservados.