Ficha Técnica

 

Direção Artística: Bety Kiyomura
Concepção e Pesquisa: Fernando Cruz, Jorge (Oz) Oliveira
Roteiro e Direção Teatral: Fernando Cruz
Produção Executiva: Angel Achkar
Direção de Arte e Cenografia: Jorge (Oz) Oliveira
Coreógrafos: Aline Gallo (Astronautas, Balões, Estrelas Cadentes, Passarinhos), Angel Achkar (Aurora Boreal ), Cayque Iroldi (Estrelas Cadentes, Paraquedistas) Elizandra Santos (Astronautas, Balões, Estrelas Cadentes, Nuvens, Passarinhos), Érika de Oliveira (Dançando na Chuva, Ets, Nuvens, Três Marias, Tripulação), Gabriela Bagnato (Arcanjos, Arco-íris, Astronautas, Galáxias), Luísa Araújo (Balões, Nuvens),
Luiz Gustavo Rodrigues (Lumina, Luzes do Luar, Galáxias, Solo de Aurora), Mariana Piccolli (Escuridão), Matheus Pontelli (Fogos de Artificio, Galáxias)
Coreógrafos convidados: Anderson Machado (A Noite, Enquanto for Primavera),
Luana Espindola (Pedacinhos do Céu, Em Noite de Chuva)
Cenografia - Execução: Ricardo Almeida, Jair Terence
Cerejeira - Concepção | Execução: Juliana Martins | Daniel Faiad
Figurinos - Criação  Consultoria: Mariana Piccolli
Figurino - Execução: Andrea Delgado, Atelier Lu Sant'ana, Atelier Viviane Helena
Ateliê Flor de Lótus - Diane de Souza
Adereço de cabeça: Andrea Delgado, Atelier Lu Sant'ana, Atelier Viviane Helena, Eliana Salles
Vídeo: Paulo Ninja
Fotografia: Márcia Conde, Studio Só Dança
Sonoplastia: Mariana Borges, Julia Rodrigues
Revisão de texto: Mariana Piccolli, Gustavo Broto
Projeto Gráfico e Identidade Visual: Jorge (Oz) Oliveira
Arte-finalista: Danilo Escarachiulli (Gráfica Guillen), Jorge (OZ) Oliveira
(Ballet Expressão), Paulo Calabrese (Art Point)
Troféu - Criação: Alcides Pallone
Contra - Regragem: Fernando Cruz, Jorge (OZ) Oliveira
Direção de Palco: Gabriela Almeida
Staff: Alexsandra Silva, Aline Hoffmann, Andreia Santana,
Aparecido Santana, Claudia Arias, Edvanda Santos,
Glaucia Almeida, Juliana Favoretti, Juliana Mascarenhas,
Liliane Araújo, Lislane Bagnato, Luciana Mendonça,
Madalena Rodrigues, Milene dos Santos, Nilda Domingos,
Rita da Silva, Simone Jorge, Tania Castelo, Valéria Lopes

 

Ficha Técnica - Teatro

 

Prefeito Municipal: Paulo Altomani
Coordenador de artes e cultura: Roberto Mori Rosa
Chefe de divisão de artes cênicas: Maria Alice Rizzo
Supervisor do Teatro Municipal: Miguel Ângelo de Lourenço
Técnico de Som: Omayr João Sobreira dos Santos, Moyzes Peixotto
Técnico de Luz: Ernesto Edson dos Santos, Leandro Queiroz Trepador
Maquinista cênicos: Paulo Sérgio Dias, Gilson Luis Rossi
Auxiliar Administrativo: Paulo Ribeiro Fidelis
Controladoras de Acesso: Elisângela Maria Rosa Pinto, Michele Cristina da Silva Campos
Segurança Patrimonial: Eden Geraldo Bardaquim, Mário Antonio da Silva
Equipe de Limpeza: Rosana Luzia Trebe, Zilda Aparecida de Castro Joaquim

 

Um pouco da história ...

 

Da janela, Aurora contemplava o céu com desejo de viajar, correr, dançar... Vivia uma relação difícil com sua fútil Tia Yellow.  De repente, um cenário imaginário surgiu pelas paredes do seu quarto e ela dançou, enquanto a tia não largava o celular. Aurora inventaria uma estória sua, partindo em uma grande viagem interestelar!

Um Anjo apareceu brincalhão e levou a menina para as Nuvens, de onde observaram os Passarinhos. Arcanjos dançaram para abençoar aquela jornada, quando a menina e o anjo, que já estavam bem no alto, encontraram, imaginem só, uma Libélula intelectual! Paraquedistas passaram como raios de luz. Aurora, entretida com seus novos amigos, ainda atendia ao chamado da tia, preocupando-se com ela.

Raios de sol se confrontaram com a chuva que caía pela paisagem mutante. Um Arco-íris e um show de Balões alegraram os três amigos. “Atenção senhores passageiros do vôo com destino às galáxias. Apertem os cintos e tenham todos uma ótima viagem!”. A Tripulação faria a última viagem enquanto ainda era dia.

O ciclo da vida lançava agora um céu estrelado sobre o quarto da menina.
A Noite chegava com seus mistérios no horizonte, Escuridão intensa, atenuada apenas pelas Luzes do Luar, que fizeram Aurora dançar novamente.

Um(a) Cientista apareceu para questionar os conhecimentos matemáticos de Aurora, mas nem isso tranquilizaria o ET que estava morrendo de medo dos Astronautas apontando no horizonte. Agora eram cinco viajantes!

“Olhem, Estrelas Cadentes!” - A menina pediu para que ajudassem sua tia. Ainda tinha tantas belezas naquela viagem que Aurora seguiu suspirando com as Galáxias, sentindo o frescor de uma Noite de Chuva e se encantando com as Três Marias.

Mas, em meio a tanta poesia, a imagem de sua tia deprimida fez com que Aurora colocasse de volta seus pés no chão e ajudasse aquela mulher a entender o quanto o amor, a amizade e a compaixão eram realmente importantes. As duas estavam próximas novamente e puderam contemplar a Aurora Boreal, como se fosse um reflexo do tempo que havia passado.

Aquela estória terminava em festa. Muitos ETs apareceram para dançar. Depois, alguém lá na terra, Dançando na Chuva, deixou leveza no ar. Fogos de Artifício fizeram “O Céu de Aurora” ainda mais colorido. Agora ela seria mais feliz, com sua tia e com sua estória para contar!

 

2017 - Ballet Expressão. Todos os direitos reservados.